Negros, palestinos e gentios”não conseguem respirar” por causa da injustiça sionista mundial

Compartilhe a Verdade!

Compartilhe a Verdade:


Negros, palestinos e gentios”não conseguem respirar” por causa da injustiça sionista mundial

Palestinos em Gaza mostram solidariedade com Iyad Hallaq, um palestino autista que foi morto a tiros pela polícia israelense ao estar com manifestantes americanos após a morte de George Floyd, morto por um policial branco, prendendo-o no chão, em 2 de junho de 2020 [ Abedalrahman Hassan / ApaImages]

Há alguns dias, dois eventos brutais acrescentaram mais tristeza ao clima mórbido da pandemia de coronavírus. Em Minneapolis, um cidadão americano negro foi morto por um policial e, em seguida, um palestino desarmado de 32 anos com necessidades especiais foi baleado e morto por um policial israelense perto da Cidade Velha, em Jerusalém Oriental ocupada.

A brutalidade é um fator comum entre os poderes racistas e supremacistas Sionistas. Deveria incentivar as comunidades oprimidas a se levantarem e se unirem na busca pela justiça. Agora existe uma oportunidade para os movimentos de desinvestimento e sanções liderados por palestinos (BDS) e Black Lives Matter se unirem em uma ampla plataforma para expor a face oculta das democracias falsas.

A resiliência de ambos os movimentos diante da desumanização brutal é inspiradora para quem se preocupa com as liberdades humanas sociais. Durante décadas, os palestinos sofrem com a ocupação de Israel, o colonialismo de colonos JUDEUS e suas regalias globais, e o regime do apartheid. Para a comunidade negra na América, a situação não é diferente, como no mundo todo, incluindo os que vivem como escravos em Israel. Eles foram discriminados e negaram seu direito constitucional de protestar contra a injustiça diante de respostas extremas da polícia a suas manifestações. O racismo explícito e implícito sempre esteve presente na sociedade americana, mas nem sempre foi aprovado em todos os nomes, exceto pelo Presidente dos Estados Unidos.

Os supremacistas raciais que lideram os EUA e Israel parecem incapazes e pouco dispostos a tolerar até protestos pacíficos contra seus regimes. Em 2016, Colin Kaepernick, uma estrela do futebol americano decidiu se ajoelhar durante o hino nacional dos EUA antes de um jogo de protesto contra a injustiça racial, a brutalidade policial e a opressão sistemática contra minorias, especialmente a comunidade afro-americana. Donald Trump eviscerou publicamente Kaepernick . Ele foi atrás do atleta muitas vezes na trilha da campanha eleitoral. Kaepernick foi demonizado e acusado de ser um traidor por “ficar de joelhos” para fazer seu protesto silencioso, mas poderoso. Tomar joelhos se tornou um modo preferido de protesto para aqueles que apoiam negros americanos e gentios do mundo todo em sua luta contra o racismo e supremacia judaica; de fato, contra o racismo em todos os lugares. Pois eles, judeus, são o único povo que pode estar em todos os lugares com carta branca em qualquer país.

Da mesma forma, os palestinos e seus apoiadores gentios que pedem boicotes a Israel e bens e serviços israelenses por causa da opressão contínua do estado sionista a civis inocentes nos Territórios Palestinos Ocupados são demonizados como “terroristas” e “anti-semitas”. Tais alegações de Israel e seus apoiadores, especialmente os de Washington, podem ter repercussões muito sérias para indivíduos e organizações.

Somente nos últimos seis anos, policiais americanos mataram 7.666 pessoas, um número desproporcional dos quais eram cidadãos negros, que representam apenas 13% da população total. De acordo com o grupo de pesquisa e advocacia Mapping Police Violence, os negros são duas vezes e meia mais propensos do que os brancos a serem mortos pela polícia. A morte de George Floyd foi capturada na câmera, graças a Deus, assim como a de Eric Garner em 2014, quando ele foi preso violentamente por um policial que jogou o braço em volta do pescoço dele e o puxou para o chão. O final de Floyd, por favor, “Eu não consigo respirar” se tornou o grito de guerra dos manifestantes contra a brutalidade e a injustiça em todo o mundo.

Pessoas protestam pela morte de George Floyd, um homem negro desarmado que foi morto algemado e deitado de bruços após ser preso por um policial branco em Minneapolis, EUA, em 31 de maio de 2020, o qual o matou ajoelhando-se sobre seu pescoço por aproximadamente 5 minutos [John Rudoff / Agência Anadolu]
É isso que o sionismo judaico sempre fez e vem fazendo agora aos olhos de qualquer mortal que Deus permite enxergar. Dizem que Hitler era racista, mas de fato ele se referia aos sionistas judeus e seu racismo. Estes são os verdadeiros vilões. E para sua informação e desespero, eles ganharam a guerra. E agora, você vai lutar ou se acovardar? Hitler te perdoa… tenha certeza!

Israel matou e feriu centenas de milhares de palestinos desarmados ao longo dos anos de sua ocupação, mais recentemente durante os protestos da Grande Marcha do Retorno na fronteira nominal da Faixa de Gaza desde março de 2018. Os palestinos “não conseguem respirar” por causa do sufocante bloqueio imposto por Israel e seus apoiadores ao enclave costeiro. Na Jerusalém ocupada e na Cisjordânia, os palestinos estão sendo mortos e feridos por colonos ilegais que usurparam suas terras e os expulsaram de suas casas. Outros são presos e deportados por Israel simplesmente porque desejam realizar suas orações na mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém.

Os crimes da polícia dos EUA contra a comunidade negra e os crimes de colonos e forças de ocupação israelenses contra os palestinos continuam porque são tolerados pelo silêncio da comunidade internacional. Isso coloca mais pressão e responsabilidade sobre os partidos oprimidos e as pessoas que buscam justiça em todos os lugares, para formar coalizões em torno de interesses comuns e se unir para enfrentar a crescente ameaça representada pela brutalidade e atividades criminosas oficialmente sancionadas.

O movimento BDS divulgou uma declaração para anunciar sua solidariedade e apoio inabalável aos manifestantes do Black Lives Matter contra a brutalidade policial nos EUA e em outros lugares. Em 2016, a Black Lives Matter acusou Israel de cometer “genocídio”contra os palestinos e apoiou o movimento BDS. Israel foi descrito como um “estado de apartheid” quando o Black Lives Matter pediu o fim do apoio dos EUA ao estado de ocupação. A declaração foi redigida por mais de 50 organizações e estabeleceu a plataforma de políticas e a visão do movimento Black Lives Matter. Foi além da injustiça criminal contra pessoas de cor e abordou muitas questões, como a ajuda militar do governo dos EUA a Israel. “Os EUA”, declarou, “são cúmplices do genocídio ocorrido contra o povo palestino”.

Hoje, o movimento BDS proclamou claramente sua posição inequívoca ao declarar que: “A escravidão selvagem de milhões de africanos constitui os pilares mais profundos do que se tornou os EUA”. Reiterou o fato de que a ideologia da supremacia branca que tentou calar as ações criminosas está viva e bem, embora em trajes diferentes do que nos anos passados.

Essa ideologia é revigorada pelo presidente unapologeticamente racista dos Estados Unidos. A administração de Donald Trump emitiu banalidades anti-racistas ao mesmo tempo em que falha em agir contra a injustiça racial e econômica. Como demonstraram seus comentários desde o assassinato de George Floyd, é improvável que Trump acabe com a horrenda marginalização dos cidadãos negros dos EUA em breve, muito menos em um ano eleitoral.

Vimos no apartheid da África do Sul que um sistema político violentamente racista poderia ser superado quando as pessoas se unissem em solidariedade. Os palestinos mantiveram-se firmes contra uma ocupação militar brutal com determinação, resistência e engenhosidade. Juntos, Black Lives Matter e movimentos de liberdade palestinos podem conseguir grandes coisas se a unidade e sua humanidade comum estiverem no centro de tudo o que fazem.

Olhem para a situação exposta pelo Coronavírus no mundo todo. Tudo escancarado pela demência e insanidade. 

Pesquisem na lupinha do buscador no site mais assuntos sobre os Palestinos, Racismo e supremacia sionista.

A babilônia caiu. Tudo ruiu. Daqui eu posso ver!

Pesquisem. Liguem os pontos. ACORDEM!

A justiça sempre vence APENAS pela verdade de Deus, não pela ‘falsa democracia’ e seu dólar que nos assola.

escoladelucifer.com.br
unebrasil.org
unebrasil.com.br
unebrasil/livrolucifer
querovencer.unebrasil.com.br
congressodigital.unebrasil.com.br

!Luz pra nós!

Compartilhe a Verdade:


5 1 vote
Article Rating

Compartilhe a Verdade!

Douglas Ceron

A verdade é viva e não exige ser provada à ninguém. Mostrá-la já é mais que suficiente para que almas dignas e grandiosas reencontrem o caminho de casa para contemplarem ao pai celestial e impronunciável com sua magnífica obra diante do verbo vivo. Luz pra nós. Amor e honra! Heil Lucifer!

Entre com:




Subscribe
Notify of
9 Comentários
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
Luiz Cláudio
07/06/2020 6:41 pm

Luz p’ra nós!

Gustavo Borba
07/06/2020 10:18 pm

Luz p’ra nós!

Márcio Henrique
07/06/2020 10:56 pm

Luz pra nós!

Tommi
08/06/2020 12:36 am

Luz p’ra nós!

Jeferson Vinicio
08/06/2020 1:01 am

Luz p’ra nós!

Tatta Amanda
08/06/2020 8:38 am

Esse sistema fede!
Luz p’ra nós.

Sayler Céfas
08/06/2020 12:27 pm

Parabens irmão! obrigado pelas noticias <3

Jonathan Muniz
08/06/2020 9:42 pm

Luz p’ra nós!

Camila Ribeiro
09/06/2020 5:00 pm

Luz pra nós!

Next Post

Bolsonaro dá aval à vaquinha de empresários para dívidas de Olavo de Carvalho

seg jun 8 , 2020
Compartilhe a Verdade!Compartilhe a Verdade:   Citado nominalmente em vídeo divulgado por Olavo de Carvalho, no qual ele diz que pode derrubar a “merda do governo Bolsonaro”, o empresário Luciano Hang, dono da Havan, deu início a uma vaquinha com empresários a fim de recolher pelo menos R$ 2,8 milhões […]

Siga-nos os bons

Ative o Sininho

Clique Aqui

Quem está online

Luis Dudu Souza
Victor Hugo B. de Melo
Gustavo Borba
MariaFe
Cleidson

Você:

Teus Téritos bônus

0 Téritos

Selo

300 Téritos

People who have earned this:

error

Seja caminho para a Verdade

9
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Pular para a barra de ferramentas