Democracia: Ditadura democrática ocidental não é novidade

Compartilhe a Verdade!

Compartilhe a Verdade:


“Os pobres e as classes inferiores estão crescendo. A justiça racial e os direitos humanos são inexistentes. Eles criaram uma sociedade repressiva e nós somos seus cúmplices inconscientes. Sua intenção de governar repousa na aniquilação da consciência. Nós fomos embalados em transe. Eles nos tornaram indiferentes a nós mesmos, aos outros. Estamos focados apenas em nosso próprio ganho. ”- They Live , John Carpenter

Estamos vivendo em dois mundos, você e eu.

Há o mundo que “vemos” (ou somos levados a “ver”) e depois há aquele que sentimos (e ocasionalmente vislumbramos), o último dos quais está muito longe da realidade orientada pela propaganda fabricada pelo governo e seus patrocinadores corporativos, incluindo a mídia televisiva e muitos portais tidos como “independentes” na própria internet.

De fato, o que a maioria dos ocidentais percebe como vida na América – privilegiada, progressista e livre – está muito longe da realidade dos fatos atualmente apresentados, onde a desigualdade econômica está crescendo, agendas reais e poder real estão enterrados sob camadas de obscurecimento Judaico Sionista e sua ofuscação corporativa, e “liberdade, ”como dizem existir, é distribuída em pequenas doses legalistas pela polícia militarizada armada até os dentes em contraste com o dito “crime organizado”. Piadas e mais piadas!

Nem tudo é o que parece.

“Você os vê na rua. Você assiste na TV. Você certamente votou em um deles nestas eleições. Você acha que são pessoas como você, que prezam o semelhante, mas não. Você está errado.  Completamente errado”

Esta é a premissa do filme de  John Carpenter,  They Live , que foi lançado há 30 anos em novembro de 1988 e permanece inquietante, assustadoramente apropriado para a nossa era moderna. A única diferença é que: Ao invés de serem “seres extraterrestres, são pessoas, sim, pessoas! Apenas com uma diferença. Se acham superiores e se unem pelo sangue, se denominam como povo escolhido e vendem o drama de serem perseguidos há séculos estando envolvidos em todas as guerras, sem exceções. Censuram alguns filmes para que as pessoas percam o foco e achem que aquilo condiz com a verdade ocultada, mas de fato, estão se ocultando por de trás de outra “teoria da conspiração” que eles mesmos criam para se camuflarem e nunca levantarem suspeitas.

Mais conhecido por seu filme de terror  Halloween , que assume que existe uma forma de mal tão obscura que não pode ser morta, o corpo maior de trabalho de Carpenter é infundido com uma forte tendência anti-autoritária, anti-supremacista e lacônica que fala as preocupações do cineasta sobre o desenrolar da nossa sociedade, particularmente o nosso governo. Neste ponto ele enfatiza exatamente o que acontece hoje como um profeta. O fato de ter usado os “alienígenas” no filme, foi justamente devido a forte censura na época para quem tentasse mostrar algo relacionado a agenda judaica no cinema. Entretanto, sempre existiram pessoas que souberam da verdade e sempre deram um jeito de passar a mensagem, para que cedo ou tarde esta fosse assimilada e compreendida.

Uma e outra vez, Carpenter, o diretor do filme, retrata o governo trabalhando contra seus próprios cidadãos,  uma população fora de contato com a realidade da existência , a tecnologia descontrolada ou suprimida do povo e um futuro mais horrível do que qualquer filme de terror.

Em  Escape from New York , Carpenter apresenta o controle absoluto do sistema por alguns poucos como o futuro da América. Coisa que hoje é um fato consumado e comprovado.

Em  Na boca da loucura , Carpenter observa que o mal cresce quando as pessoas perdem “a capacidade de saber a diferença entre realidade e fantasia”.

E depois há Carpenter’s  They Live , em que dois trabalhadores migrantes descobrem que o mundo não é o que parece. De fato, a população está sendo controlada e explorada por “alienígenas trabalhando em parceria com uma elite oligárquica” (Essa Elite seriam os Judeus/Sionismo). Durante todo esse tempo, a população – felizmente inconsciente da agenda real em ação em suas vidas – foi levada à complacência, doutrinada em conformidade, bombardeada por distrações da mídia e hipnotizada por mensagens subliminares transmitidas pela televisão e por vários aparelhos eletrônicos, outdoors e sob todas as formas possíveis e inimagináveis.

Somente quando o sem-teto John (protagonista do filme, o falecido Roddy Piper) descobre um par de óculos de sol “mágicos” que vêem o que está por “escondido” da realidade fabricada pela elite judaica: controle e escravidão.

 

Quando vistas através da lente da verdade, as elites, que parecem humanas até serem despidas de seus disfarces, são mostradas como monstros que escravizaram os cidadãos para atacá-los. (Este foi o grande truque do diretor, ele encontrou desta forma, um jeito de não ser “censurado”.

Da mesma forma, os outdoors exibem mensagens ocultas e autoritárias : uma mulher vestida de biquíni em um anúncio está realmente ordenando que os espectadores “CASAM E REPRODUZAM”. As prateleiras de revistas gritam “CONSUMAM” e “OBEDECEM.” Um maço de notas de dólar na mão de um vendedor representando “ESTE É SEU DEUS” – Uma clara evidência que ele se referia neste filme ao maldito dólar. O carro chefe de escravização judaica no planeta.

Quando vistas através das lentes “mágicas”, algumas das outras mensagens ocultas que estão sendo tocadas no subconsciente das pessoas incluem: NENHUM PENSAMENTO INDEPENDENTE, CONFORMISMO, ACEITE, DURMA, COMPRE, ASSISTA TV, NÃO PENSE, E NÃO PERGUNTE.

Essa campanha de doutrinação arquitetada pela elite em  They Live  é dolorosamente familiar para qualquer um que tenha estudado o declínio da cultura americana e, também, grande parte da cultura mundial.

Uma sociedade sem coletividade que não pensa por si mesma, obedece sem questionar, é submissa, não desafia a autoridade, não pensa fora da caixa e se contenta em sentar e se divertir é uma sociedade que pode ser facilmente controlada. E assim o é!

Desse modo, a mensagem sutil de “Eles vivem”  fornece uma analogia adequada de nossa própria visão distorcida da vida no Estado social  ocidental, a que o filósofo Slavoj Žižek se refere como  “ditadura da democracia”, a ordem invisível que sustenta sua aparente, mas FALSA liberdade”.

Estamos sendo alimentados com uma série de ficções cuidadosamente planejadas que não se assemelham à realidade. Uso direto e manipulado da cabala contra o povo. A manipulação da percepção se faz evidente em todos os aspectos de “poder” e na “formação de opinião”.

Os poderosos querem que nos sintamos ameaçados por forças além do nosso controle (terroristas,  atiradores,  bombardeiros, GUERRA e escassez).

Eles nos querem com medo e dependentes do governo e de seus exércitos militarizados para nossa segurança e bem-estar.

Eles nos querem desconfiados um do outro, divididos pelos nossos preconceitos e pelas gargantas gananciosas uns dos outros.

Acima de tudo, eles querem que continuemos a marchar em sintonia com seus ditames, como verdadeira ovelhas sendo manobradas em um campo de um lado para outro.

Desconsidere as tentativas do governo para distrair, desviar e confundir-nos e sintonizar o que realmente está acontecendo neste país, e você se precipitará em uma verdade inconfundível e desagradável: a elite endinheirada que nos governa nos vê como recursos dispensáveis ​​a serem usados , abusado e descartado. Eia a supremacia judaica em ação.

De fato, um estudo conduzido por Princeton e Northwestern University concluiu que o governo dos  EUA não representa a maioria dos cidadãos americanos . Em vez disso, o estudo descobriu que o governo é governado pelos ricos e poderosos (JUDEUS), ou a chamada “elite econômica” (JUDEUS). Além disso, os pesquisadores concluíram que as políticas aprovadas por essa elite governamental quase sempre favorecem interesses especiais e grupos de pressão. Judeus e Israel. Fatos e mais fatos!

Em outras palavras, estamos sendo  governados por uma oligarquia JUDAICA  disfarçada de democracia, e em nosso caminho  – uma forma de governo em que governam interesses privados corporativos de maneira mais intensa ainda, o dinheiro dará cada vez mais as ordens e os gentios serão vistos cada vez mais como meros animais a serem controlados mais e mais. Como alguns lideres de Israel dizem: Com mãos de ferro.

Você precisa ser rico – ou agradecer aos ricos judeus e fazer todas as suas vontade e exigências, mesmo que isso vá contra o povo para ser eleito nos dias de hoje, mas  ser eleito também é uma maneira infalível de ficar rico, desde que você se sujeite a submissão total dos interesses desta corja Sionista Judaica . Como a  CBS News  relata, “Uma vez no poder, os membros do Congresso têm acesso a conexões e informações que podem usar para aumentar sua riqueza, de maneira inigualável no setor privado. E uma vez que os políticos deixam o cargo, suas conexões permitem que eles lucrem ainda mais”.

Ao denunciar essa flagrante corrupção do sistema político dos Estados Unidos, o ex-presidente Jimmy Carter atacou o processo de eleição – Casa Branca, mansão do governador, Congresso ou legislaturas estaduais – como “ suborno político ilimitado … uma subversão do nosso sistema político como recompensa ao governo”perante grandes contribuintes, que querem e esperam, e geralmente conseguem, favores para si mesmos após o término das eleições”.

Tendo tudo isso alinhado perfeitamente hoje, as formas básicas de governo permanece,: as opções e privatizações parecerão serem amigáveis. Os legisladores estarão em sessão. Haverão eleições “democráticas” e a mídia continuará cobrindo as trivialidades políticas e de entretenimento. O consentimento dos governados, no entanto, não será mais aplicável. O controle real é articulado pela elite oligárquica 100% judaica controlando o governo nos bastidores.

Soa familiar?

Claramente, somos agora governados por uma elite judaica que está descaradamente no topo de tudo que vá de encontro aos interesses governamentais e corporativos. O povo sempre fica DEPOIS destes interesses.

Mudamos para o “corporativismo”,  que é o caminho na direção da real escravidão moderna total.

O corporativismo é onde os poucos interesses endinheirados – não eleitos pelos cidadãos – dominam os muitos. Desta forma, não é uma democracia ou uma forma republicana de governo, que é o que o governo ocidental foi estabelecido para ser. É uma forma de governo de cima para baixo onde quem realmente está no topo há muito tempo, jamais dá suspeitas de o fazer de fato. Hienas Judaicas ^^

Para que o martelo final da mentira e manipulação caiam, será necessário o ingrediente mais crucial: a maioria das pessoas terá que concordar que não é apenas conveniente, mas necessário ACORDAR.

Mas por que um povo concordaria com um regime tão opressivo?

A resposta é a mesma em todas as idades: medo, ignorância, covardia e egoísmo.

O medo deixa as pessoas estúpidas.

O medo é o método mais usado pelo sistema para aumentar o poder do próprio sistema. E, como a maioria dos comentaristas sociais reconhece, uma atmosfera de medo permeia o mundo moderno: medo do terrorismo, medo da polícia, medo de nossos vizinhos, medo de faltar dinheiro e assim por diante.

A propaganda do medo tem sido usada de forma bastante eficaz por aqueles que obtém o controle da população ocidental.

Apesar do fato de que somos 17.600 vezes mais propensos a morrer de doenças cardíacas do que de um ataque terrorista; 11.000 vezes mais propensos a morrer de um acidente de avião do que de um plano terrorista envolvendo um avião; 1.048 vezes mais propensos a morrer de um acidente de carro do que um ataque terrorista, e  8 vezes mais propensos a serem mortos por um policial do que por um terrorista, nós entregamos o controle de nossas vidas para funcionários do governo que nos tratam como lixo e geradores – a fonte de dinheiro e poder.

Como o Homem de Barba em  Eles Vivem  adverte: “Eles estão desmantelando a classe média adormecida. Mais e mais pessoas estão se tornando pobres. Nós somos o gado deles. Estamos sendo criados para a escravidão. – MITO!

A este respeito, não somos tão diferentes dos cidadãos oprimidos em  They Live .

Desde o momento em que nascemos até a morte, somos doutrinados a acreditar que aqueles que nos governam o fazem para nosso próprio bem. A verdade é muito diferente.

Apesar da verdade nos encarar, nos permitimos nos tornar zumbis apavorados, controlados e pacificados.

Vivemos em um estado perpétuo de negação, isolados na dolorosa realidade do sofrimento por não compreender a vida e pelo impacto causado por notícias de entretenimento e dispositivos digitais alimentados hoje, pela internet.

A maioria das pessoas mantém a cabeça baixa hoje em dia enquanto vêem zumbis em uma tela eletrônica, mesmo quando estão atravessando a rua. Famílias sentam-se em restaurantes de cabeça baixa, separadas por seus dispositivos de tela e sem saber o que está acontecendo ao seu redor. Os jovens, em especial, parecem dominados pelos aparelhos que seguram nas mãos, alheios ao fato de poderem simplesmente apertar um botão, desligar a coisa e ir embora.

De fato, não há atividade grupo maior do que aquela relacionada àqueles que assistem a telas – isto é, televisão, computadores portáteis, computadores pessoais e assim por diante. Na verdade, um estudo da Nielsen relata que a visualização de tela está em alta de todos os tempos. Por exemplo, o  americano médio assiste aproximadamente 151 horas de televisão por mês .

A questão, é claro, é qual efeito esse consumo de tela tem na mente de alguém?

Psicologicamente é  semelhante ao vício em drogas . Pesquisadores descobriram que “quase imediatamente depois de ligar a TV, os  sujeitos relataram sentir-se mais relaxados , e porque isso ocorre tão rapidamente e a tensão retorna tão rapidamente após a TV ser desligada, as pessoas são condicionadas a associar a TV à falta de tensão. A pesquisa também mostra que, independentemente da programação, as ondas cerebrais dos espectadores diminuem, transformando-as em um estado mais passivo e não-resistente. Ou seja, viram robôs com bateria fraca para pensar, mas forte para o trabalho árduo que gira a engrenagem de moer pessoas.

Historicamente, a televisão tem sido usada por quem tem autoridade para acalmar o descontentamento e pacificar as pessoas disruptivas. “Confrontados com uma superlotação severa e orçamentos limitados para reabilitação e aconselhamento,  cada vez mais agentes penitenciários estão usando a TV para manter os internos quietos ”, segundo a  Newsweek .

Dado que a maioria do que os americanos assistem na televisão é fornecida através de  canais controlados por seis mega corporações e adivinhem, todas de JUDEUS, o que vemos agora é controlado por uma elite corporativa e, se essa elite precisa promover um ponto de vista particular ou pacificar seus espectadores, pode fazê-lo em grande escala. BINGO!

Se estamos assistindo, não estamos fazendo.

Os poderes que entendem isso. Como o jornalista de televisão Edward R. Murrow advertiu em um discurso de 1958:

Estamos atualmente ricos, gordos, confortáveis ​​e complacentes . Atualmente, temos uma alergia interna a informações desagradáveis ​​ou perturbadoras. Nossa mídia de massa reflete isso. Mas a menos que nos levantemos de nossos excessos de gordura e reconheçamos que a televisão em geral está sendo usada para distrair, iludir, divertir e nos isolar, então a televisão e aqueles que a financiam, aqueles que olham para ela, e aqueles que trabalham nela , pode ver uma foto de manira totalmente diferente tarde demais.

Isso me traz de volta ao  They Live , no qual os verdadeiros zumbis não são os “alienígenas” que estão no comando, mas a população que está contente em permanecer controlada e induzida ao sono.

Para quem descobre a verdade, o mundo de  They Live  não é diferente do nosso.

Nós também estamos focados apenas em nossos próprios prazeres, preconceitos e ganhos. Nossos pobres e subclasses também estão crescendo. A injustiça racial está crescendo. Direitos humanos são quase inexistentes. Nós também fomos embalados em transe, indiferentes aos outros.

Alheio ao que temos pela frente, fomos manipulados a acreditar que, se continuarmos a consumir, obedecer e ter fé, as coisas vão dar certo. Mas isso nunca foi verdade em relação aos regimes emergentes. E quando sentirmos o martelo cair sobre nós, será tarde demais.

Então, onde isso nos deixa?

Os personagens que povoam os filmes de Carpenter fornecem algumas dicas.

Sob o machismo deles, eles ainda acreditam nos ideais de liberdade e igualdade de oportunidades. Suas crenças os colocam em constante oposição à lei e ao establishment atual, mas eles são, não obstante, combatentes da liberdade.

Quando, por exemplo, John destrói o “transmissor alienígena” em  They Live , ele restaura a esperança ao entregar à Cidade um alerta para a liberdade.

Essa é a chave aí mesmo: precisamos acordar.

Parem de se permitir serem facilmente distraídos por espetáculos políticos sem sentido e prestem atenção ao que realmente está acontecendo no país.

A verdadeira batalha pelo controle desta nação não está sendo travada entre republicanos e democratas, DIREITA OU ESQUERDA, CAPITALISMO OU COMUNISMO nas urnas. A tal democracia não passa de uma falsa distração!

A Guerra do Povo, a verdadeira batalha pelo controle desta nação está ocorrendo em estradas, carros da polícia, em bancas de testemunhas, em linhas telefônicas, em escritórios do governo, em escritórios corporativos, em corredores e salas de aula de escolas públicas, em parques e assembleias municipais, e em vilas e cidades por todo o país.

A verdadeira batalha entre liberdade e tirania está ocorrendo bem diante de nossos olhos, basta nós apenas os abrirmos.

Todas as armadilhas do falso estado democrático judaico estão agora à vista de todos.

Acorde, povo Gentio. Acorda Brasil!

Se eles vivem (os tiranos, os opressores, os invasores, os supremacistas, racistas e senhores especiais), é só porque “nós, o povo gentio” dormimos.

 

Compartilhe a Verdade:


0 0 vote
Article Rating

Compartilhe a Verdade!

Douglas Ceron

A verdade é viva e não exige ser provada à ninguém. Mostrá-la já é mais que suficiente para que almas dignas e grandiosas reencontrem o caminho de casa para contemplarem ao pai celestial e impronunciável com sua magnífica obra diante do verbo vivo. Luz pra nós. Amor e honra! Heil Lucifer!

Entre com:




Subscribe
Notify of
5 Comentários
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
A. Miranda
29/10/2018 12:35 am

Um dos melhores filmes do gênero que assisti… Esse som diz tudo sobre o filme e a realidade .. abraço irmão!!!
https://youtu.be/4-4V9g6bUqc

Rafael
28/10/2018 11:08 pm

👏👏👏 belíssima obra este post
– John carpenter they live , confesso que só havia assistido por cima aquela cena do óculos (Obey) mas a forma como vc sintetizou sobre o filme e a realidade deixou bem claro a mensagem sobre o sistema e o despertar O carpenter é um monstro! Profeta !
Belíssimo texto irmão 🙏 Gratidão luz p’ra nós!

Josimar Lima
Editor
29/10/2018 7:58 am

Nossa! Quanta luz …

(Alleyn)
29/10/2018 8:51 am

Mentiras desmascaradas ha temos e agora o Povo já se liga melhor nisso, amém.

Luiz Cláudio
29/10/2018 8:53 am

Muito bom irmão!os post da edl é um refugio mental nos dias atuais,que Deus continue te inspirando a escrever e compartilhar o conhecimento.

Next Post

Recorde de microscópio eletrônico mostra ligações atômicas

seg out 29 , 2018
Compartilhe a Verdade!Compartilhe a Verdade:Microscópio mais preciso do mundo A nanotecnologia cravou mais um recorde digno do Guinness: o microscópio de resolução mais alta do mundo. Com ele é possível visualizar com precisão estruturas medindo 0,39 ângstroms. Como referência, lembre-se que a maioria dos átomos têm entre 2 e 4 […]

Siga-nos os bons

Ative o Sininho

Clique Aqui

Quem está online

Ariel dos Santos

Você:

Teus Téritos bônus

0 Téritos

Selo

300 Téritos

People who have earned this:

error

Seja caminho para a Verdade

5
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Pular para a barra de ferramentas