Cenário aterrorizante: Imaginem se o coronavírus chegar em Gaza

Compartilhe a Verdade!

Compartilhe a Verdade:


Cenário aterrorizante: Imaginem se o coronavírus chegar em Gaza

KIBBUTZ MEFALSIM, ISRAEL: Soldado israelense abre um portão na “cerca de segurança” ao redor da faixa de Gaza enquanto atravessa em 05 de outubro de 2004 com seu trator blindado em Israel após uma noite de combates no campo de refugiados de Jabalia (segundo plano). Tropas israelenses estão avançando com uma grande ofensiva na faixa norte de Gaza pelo sétimo dia consecutivo, enquanto o Conselho de Segurança da ONU está pronto para votar um projeto de resolução pedindo que Israel retire suas forças depois de um enorme ataque que deixou quase 80 Palestinos mortos em menos de uma semana. Foto AFP / Yoav LEMMER (O crédito da foto deve ser YOAV LEMMER

E se o Coronavírus chegar à Faixa de Gaza sitiada?

Embora a questão carregue grande urgência para todos os palestinos que vivem sob ocupação militar de Israel, a situação de Gaza é particularmente complexa e extremamente preocupante.

Quase 50 países já relataram casos da doença de COVID-19, uma das várias epidemias causadas pelo coronavírus. Se países desenvolvidos, como Itália e Coréia do Sul, estão lutando para conter o vírus mortal, só podemos imaginar o que os palestinos ocupados e violados por Israel teriam que enfrentar se o vírus atacasse.

De fato, de acordo com relatórios oficiais palestinos, o Coronavírus já chegou à Palestina após uma visita de uma delegação sul-coreana no período entre 8 e 15 de fevereiro, que incluiu um tour pelas principais cidades palestinas de Jerusalém, Nablus, Jericó, Hebron, e Belém.

A Autoridade Palestina se esforçou para conter as consequências da notícia, que causou pânico palpável entre uma população que tem pouca fé em sua liderança, para começar. O primeiro-ministro da AP, Mohammad Shtayyeh, ” esperava” que os “proprietários das instalações desconhecidas” exercessem responsabilidade pessoal e fechassem seus negócios e outros estabelecimentos abertos ao público.

O Ministério da Saúde da PA seguiu isso declarando um “estado de emergência” em todos os hospitais sob jurisdição da PA na Cisjordânia, designando um centro de quarentena perto de Jericó para aqueles que chegam da China e outras áreas que são duramente atingidas pelo Coronavírus.

Para os palestinos, no entanto, combater um surto de coronavírus não é um assunto simples, mesmo que as instalações disfuncionais da AP sigam as instruções da Organização Mundial da Saúde (OMS) à risca.

Os palestinos são separados por uma matriz de controle israelense que excluiu muitas comunidades atrás de grandes muros de cimento, postos de controle militares e impossível navegar pelas ordenanças do exército que são inerentemente projetadas para enfraquecer a comunidade palestina e facilitar a missão do governo israelense de controlar os palestinos e colonizar suas terras.

O que a Autoridade Palestina pode fazer para ajudar dezenas de milhares de palestinos na chamada ‘Área C’ da Cisjordânia ocupada? Esta região está inteiramente sob o controle do exército israelense, que tem pouco interesse no bem-estar dos habitantes palestinos.

Tais questões teriam que ser consideradas no contexto do que a OMS se refere como “desigualdades na saúde” entre os palestinos, por um lado, e entre palestinos e colonos judeus ilegais privilegiados, por outro.

De alguma forma, muitas comunidades palestinas já estão em quarentena por Israel, mas por razões políticas, não médicas. Um surto de coronavírus em algumas dessas comunidades, especialmente as que são excluídas de serviços de saúde adequados e instalações médicas bem equipadas, seria desastroso.

O pior dos destinos, no entanto, aguarda Gaza, se o vírus mortal e em rápida expansão encontrar o seu caminho de todas as direções através do cerco hermético, que envolve esta região minúscula, mas densamente povoada.

Gaza, que está enfrentando seu 12º ano de cerco a Israel e ainda está sofrendo a destruição maciça por várias guerras israelenses, já foi declarada “inabitável” pelas Nações Unidas. Mas ninguém nunca mostra isso na mídia ocidental.

No entanto, a miséria de Gaza nunca deixa de se desdobrar. Nem um único relatório da ONU sobre as instalações médicas ou a preparação médica de Gaza nos últimos dez anos usou qualquer linguagem positiva ou até esperançosa.

Qualquer País no mundo que expresse seu apoio aos Palestinos em geral e faixa de gaza são perseguidos e tidos como apoiadores de terroristas.

Em março passado, Jamie McGoldrick, coordenador humanitário da ONU para o território palestino ocupado, lamentou “as falhas crônicas de energia em Gaza, as lacunas nos serviços extremos, incluindo saúde mental e apoio psicossocial, e a escassez de medicamentos e suprimentos essenciais”.

Em janeiro, o grupo de direitos israelenses. B’Tselem falou de uma crise de saúde sem precedentes em Gaza sitiada, uma que não é alimentada pelo Coronavírus ou por qualquer outra epidemia, mas pelo fato de que os hospitais que mal funcionam em Gaza estão tentando desesperadamente lidar com a queda dos milhares de ferimentos resultantes da ‘Grande Marcha de Retorno’ que ocorreu no lado de Gaza da cerca divisória.

O B’Tselem já informou sobre “a política ilegal de fogo aberto que Israel está usando contra essas manifestações, permitindo que os soldados atirem para matar contra manifestantes desarmados que não põem em perigo ninguém, levou a resultados terríveis”.

O grupo israelense citou estimativas moderadas fornecidas pela OMS de que, até o final de 2019, os médicos de Gaza precisavam realizar amputações de membros em 155 manifestantes, um número que inclui 30 crianças. Isso, além de dezenas de manifestantes que ficaram permanentemente paralisados ​​por causa de lesões na coluna vertebral.

Esta é apenas uma pequena parte de uma crise muito mais multifacetada. Não só o sarampo e outras doenças infecciosas altamente contagiosas estão encontrando seu caminho de volta para Gaza, mas doenças transmitidas pela água, também estão se espalhando a uma velocidade alarmante. Pois os dejetos das propriedades dos colonos Israelenses são canalizados para inundar a água potável usada pelos palestinos dentre outras ações para envenar seu ambiente bem como suas terras férteis.

97% de toda a água de Gaza não é adequada para consumo humano, de acordo com a OMS, que levanta a questão: como os hospitais de Gaza poderiam enfrentar a epidemia de Coronavírus quando, em alguns casos, a água limpa nem sequer está disponível no maior hospital de Gaza, Al-Shifa?

“Mesmo quando disponível, médicos e enfermeiros não conseguem esterilizar as mãos devido à qualidade da água”, de acordo com a RAND Corporation.

O diretor da OMS na Palestina, Gerald Rockenschaub, falou com segurança sobre sua reunião com o ministro da Saúde da PA, Mai Al-Kaila, em Ramallah em 25 de fevereiro, onde discutiram a necessidade de mais “medidas de preparação” e “ações adicionais de preparação prioritária” nas Cisjordânia e Gaza.

A OMS também anunciou que está “coordenando com as autoridades locais em Gaza” para garantir a preparação da Faixa para lidar com o Coronavírus. – Sendo que a OMS é mais um testa de ferro sionista falso judaico pro-israel. Pois de que adiante condenar a liderança de gaza sendo que está é suprimida pelo exército e política racista ditatória israelense.

Essa linguagem calmante, no entanto, mascara uma realidade terrível, que a OMS e toda a Organização das Nações Unidas não conseguiram enfrentar por mais de uma década por se fazerem imparciais, mas na verdade são é coniventes com todo este aparato criminoso.

Todos os relatórios anteriores da OMS sobre Gaza, enquanto detalhavam com precisão o problema, pouco fizeram para diagnosticar suas raízes ou criar uma solução permanente para eleDe fato, os hospitais de Gaza estão tão disfuncionais como sempre, a água de Gaza está mais suja do que nunca e, apesar dos avisos repetidos, a Faixa ainda não é adequada para habitação humana, graças ao cerco israelense brutal e ao silêncio da comunidade internacional. Essa é a verdade!

A verdade também é que nenhuma quantidade de ‘preparação’ em Gaza – ou, francamente, em qualquer lugar da Palestina ocupada – pode impedir a propagação do coronavírus. O que é necessário é uma mudança fundamental e estrutural que emancipasse o sistema de saúde palestino bem como TODA A PALESTINA do terrível impacto da ocupação ILEGAL israelense e das políticas de cerco perpétuo e de ‘quarentenas’ impostas politicamente pelo governo israelense – também conhecido como apartheid, Sionismo ou seja lá como for que queiram chamar estes verdadeiros ditadores globais.

 

Compartilhe a Verdade:


0 0 vote
Article Rating

Compartilhe a Verdade!

Douglas Ceron

A verdade é viva e não exige ser provada à ninguém. Mostrá-la já é mais que suficiente para que almas dignas e grandiosas reencontrem o caminho de casa para contemplarem ao pai celestial e impronunciável com sua magnífica obra diante do verbo vivo. Luz pra nós. Amor e honra! Heil Lucifer!

Entre com:




Subscribe
Notify of
6 Comentários
Most Voted
Newest Oldest
Inline Feedbacks
View all comments
Arthur Luighe
04/03/2020 12:54 pm

Luz p’ra nós 🍎

Paulo Henrique
04/03/2020 1:59 pm

luz p’ nos!

Admin bar avatar
04/03/2020 7:54 pm

Luz p’ra nós!

Kaique Aguiar
04/03/2020 8:42 pm

Povo injustiçado, jamais esqueceremos dessa nação 🙁

Miryam Yoshiko
Admin
04/03/2020 9:24 pm

Luz p’ra nós!

Michelly
Admin
04/03/2020 9:50 pm

Luz p’ra nós!

Next Post

Quebra de sigilo liga gabinete de Eduardo Bolsonaro à conta de ataques virtuais.

qua mar 4 , 2020
Compartilhe a Verdade!Compartilhe a Verdade:   Uma das páginas utilizadas para ataques virtuais e para estimular o ódio contra supostos adversários do presidente Jair Bolsonaro foi criada a partir de um computador localizado na Câmara dos Deputados. A página, chamada Bolsofeios, também foi registrada a partir de um telefone utilizado […]

Siga-nos os bons

Ative o Sininho

Clique Aqui

Quem está online

Leonardo Moreira

Você:

Teus Téritos bônus

0 Téritos

Selo

300 Téritos

People who have earned this:

error

Seja caminho para a Verdade

6
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Pular para a barra de ferramentas